Por R+T - NOVO - pt Em Notícias Atualizada em 12 FEV 2020 - 16H21

Casa Conectada - Em pleno crescimento



O mercado de produtos que tornam uma casa inteligente cresce e promete alta performance nos próximos anos. O brasileiro está mais adaptado à tecnologia, e a internet das coisas (IoT) caiu no seu gosto, o que ajuda a categoria de automação, cujos itens permitem ao usuário, por exemplo, escolher, a distância, a temperatura de sua casa. A segurança é mais um ponto a favor dos dispositivos inteligentes, tanto que 80% dos brasileiros da classe média têm interesse neles, mostra pesquisa da Positivo Tecnologia.

Este ano, o segmento de IoT deve movimentar US$ 735 bilhões no mundo, com potencial de ultrapassar US$ 1 trilhão em 2022, conforme estudo do IDC. “Nos próximos 36 meses, esses produtos deverão crescer de 30% a 40% ao ano, mas o mercado brasileiro ainda é pequeno em comparação com o americano. O barateamento dos preços se dará com a maturidade da tecnologia”, diz José Ricardo Tobias, head da Positivo Casa Inteligente.

As vendas da categoria aumentam também por outros fatores. “A chegada do Google Assistente e da Amazon Alexa ao Brasil ajudou muito o consumidor a conhecer as facilidades da automação. Aqui, ela está muito no começo, mas existe há mais de 25 anos. A diferença é que hoje é muito mais acessível e fácil de instalar e utilizar”, afirma Vartan Horigian, CEO do Grupo BHX Brands, que detém a marca Energy, cuja linha de automação é a Orvibo.

Dentro de seis anos, os dispositivos inteligentes serão tão consumidos quanto os smartphones, acredita o diretor da i2GO, Marcelo Castro, para quem o mercado está cada vez mais aquecido. “A realidade da casa conectada está mais inserida na rotina do brasileiro, devido à facilidade das conexões. Não são apenas os preços baixos que irão alavancar as vendas, mas sim o custo-benefício contido em cada produto, que precisa unir preço com qualidade e funcionalidade.”

Facilidade na instalação

Os dispositivos inteligentes evoluíram e tornar sua instalação cada vez mais fácil é meta das empresas, conta Pablo Larrieux, diretor de novos negócios da Elsys. “Facilitar é elemento essencial, tal como a integração dos produtos, para oferecer ao cliente uma experiência consolidada. As empresas têm que avançar na tecnologia, mas devem colocar o consumidor no processo, pois a maioria que adere à compra o faz porque o produto é uma solução para um problema.”

Antigamente, cada aparelho, fosse uma lâmpada, um sensor ou uma câmera, precisava de um aplicativo específico para funcionar, o que tornava o uso mais complicado, diz Rafael Assa, diretor da Alfacomex, detentora da marca Geonav. “O mercado é novo, acreditamos que deve crescer bastante, e a chegada da Amazon e do Google em português com os assistentes digitais é um facilitador para alavancar as vendas de produtos para a casa conectada.”

Nos próximos anos, o mercado deve evoluir com produtos melhores e cada vez mais estáveis no quesito funcionamento, destaca Adrian Salvetti, presidente da Vetti. “É negativo achar que o barateamento dos itens ajuda as vendas. Existem muitas empresas fora do nosso ramo tentando copiar o conceito e ofertando produtos baratos que não funcionam como devem e acabam atrapalhando o mercado.”

Diretor técnico da NovaDigital, David Lopes prevê uma disputa acirrada de marcas em tempos futuros. “Cada uma vai oferecer as suas soluções, impondo uma severa concorrência, forçando sempre a inovação e a redução de custos sem diminuir a qualidade. Isso causará uma derrubada considerável de preços para o consumidor, que se beneficiará muito da concorrência que o mercado promete.” A seguir, acompanhe as novidades das empresas em automação residencial.

NOVA EXPERIÊNCIA

Este ano, a LG passou a investir em projetos de casa conectada nos pontos de venda, para levar a experiência de seus aparelhos inteligentes aos consumidores. Barbara Toscano, head de marketing da LG Electronics do Brasil, conta sobre a ação.

Eletrolar News – Qual é o objetivo?

Barbara Toscano – Com os espaços, temos a oportunidade de expor nossas principais soluções de conectividade, possibilitando que os consumidores experimentem os produtos e entendam como funcionam. O objetivo é mostrar ao consumidor, de maneira prática, como a inteligência artificial aplicada aos eletrodomésticos pode facilitar o dia a dia.

EN – Como é a interação?

BT – Nos espaços, os consumidores podem interagir com refrigeradores, máquinas lava e seca, televisores, condicionadores de ar e smartphones da LG, todos com tecnologia proprietária de inteligência artificial da marca, a ThinQ AI, que permite o monitoramento e controle dos eletrodomésticos a distância.

EN – De que forma funciona a plataforma?

BT – Ao adquirir o eletrodoméstico, o consumidor pode fazer download do aplicativo SmartThinQ® em seu smartphone e cadastrar o produto. Com conexão via Wi-Fi e Bluetooth, os itens da LG podem, então, ser acessados a distância. Com o aplicativo, por exemplo, é possível ligar, desligar e controlar funções do ar-condicionado, escolher o tipo de lavagem para a máquina lava e seca e controlar a temperatura do refrigerador. No caso dos condicionares de ar, já é possível emitir um alerta no smartphone dos consumidores quando o filtro precisar ser higienizado, além de oferecer gráficos de consumo de energia.

EN – Quais varejistas têm essa ação?

BT – O projeto de casa conectada da LG contará com espaços nos principais varejistas espalhados pelas cinco regiões brasileiras. A ação já conta com alguns espaços instalados e, em 2020, teremos mais projetos com o mesmo objetivo.

Elsys

No segmento de casa conectada, atua em quatro áreas. Seu Smarty é o primeiro dispositivo com Android TV do Brasil com controle remoto por comando de voz, Google Assistente e Chromecast integrado. “Transforma qualquer televisão em um aparelho inteligente, possibilita assistir Netflix e todo o conteúdo da internet”, diz Pablo Larrieux. Outro produto similar ao Smarty é o Streaming Box, com plataformas que permitem o uso de comando de voz.

Em câmeras de segurança, possui modelos com conexão Wi-Fi para uso interno e externo. Com o aplicativo Elsys Home, é possível visualizar as imagens dos ambientes ao vivo. Tem, também, o videoporteiro, com acesso remoto pelo smartphone e visão de até 120°. Por último, o Amplimax permite acesso à internet e chamadas telefônicas mesmo em locais de difícil acesso. “É uma banda larga através de satélite. Se moro em um lugar que não tem fibra ótica nem celular, me conecto através de satélite”, relata Pablo.

Energy2U

Com a marca Orvibo, que há mais de 11 anos está no mercado chinês e chegou ao Brasil no início de 2019, tem mais de 40 produtos para automação, desde fechaduras com biometria, sensores de fumaça, alagamento e gás, interruptores com touch, módulos para controle de cortinas e persianas, até controle de fitas de LED. “A Orvibo pode converter a casa em inteligente e, ao mesmo tempo, utilizar todos os seus módulos para ativar um sistema de segurança”, diz Vartan Horigian.

A Orvibo utiliza a tecnologia chamada Zigbee para uma automação confiável, segura e acessível, conta Vartan. “Suas vantagens são a distância e o alcance do sinal dos equipamentos, o baixo consumo de energia, a segurança e a possibilidade de a pessoa continuar usando a sua automação mesmo sem internet. Tudo é feito a partir do smartphone, tanto Android como iOS.” Os produtos da marca são instalados por seus integradores certificados.

Geonav

O portfólio da Home Intelligence – Hi by Geonav atende três aspectos: bem-estar, praticidade e segurança, pilares da automação residencial, diz Rafael Assa. “O principal atributo da linha é ter produtos que interagem entre si em uma plataforma universal, controlados por um único aplicativo, compatível com iOS e Android, e que se conectam aos principais assistentes digitais, Amazon Alexa e Google Assistente.” A instalação é simples, e a marca tem vídeos para auxiliar o cliente.

Em iluminação, tem uma lâmpada com soquete E27 tradicional, uma com soquete GU10 (dicroica) e uma fita módulo relê, que ligam e desligam os aparelhos remotamente. A central de controle remoto permite armazenar no smartphone vários controles, como os de ar-condicionado e TVs. Tem, ainda, sensores de porta/janela/movimento, fumaça/gás/monóxido de carbono, câmera interna com qualidade Full HD e design minimalista. “No início de 2020, traremos uma fechadura que funciona com senhas, biometria, cartão de acesso e abertura pelo smartphone”, conta Rafael.

i2GO

A linha i2GO Home funciona com assistentes de voz do Google, Alexa e Siri. É composta por lâmpada inteligente, com função de cores RGB, luz quente e fria, 10 W de potência e 25 mil horas de vida útil; tomada com 1.100 W, que funciona com aparelhos de até 10 A; interruptor compatível com lâmpadas não inteligentes; sensor infravermelho e câmera. “Ela tem 72O P de resolução, sensor de presença, microfone e alto-falante para comunicação com os que estão nos ambientes que abrange”, diz Marcelo Castro.

Completa a linha o Kit Segurança, conjunto formado por dois sensores de portas e janelas, um sensor de presença, uma sirene, um controle remoto, alarme com conexão Wi-Fi e sensores que interagem com ele através de radiofrequência de 433 MHz. “Todos os produtos são de fácil e rápida instalação, sem a necessidade de ferramentas nem de um profissional do segmento”, conta Marcelo.

NovaDigital

Tem sistemas para iluminação com módulos básicos e interruptores touch em vidro temperado. “Eles agregam muito ao design do ambiente”, diz David Lopes. Também possui sistemas de portões de garagem e porta automática, com operação a distância, para abrir ou fechar, e para cortinas e persianas, além do controle IR Smart, acionado por smartphone ou tablet, para controlar o ar-condicionado ou outro aparelho da casa que utilize um controle remoto comum. Dispõe, ainda, de alarmes com sensores e câmera IP conectados ao celular.

A instalação fácil e a interface intuitiva são diferenciais dos produtos. “Depois de instalados, podem ser usados facilmente por crianças e pessoas mais idosas, sendo possível a operação diretamente no módulo, por smartphone ou tablet, ou por comando de voz com o uso do Google Home e Alexa”, conta David. Todos os itens vêm com manual em português e contam com um canal no YouTube.

Positivo Tecnologia

Lançou no início deste semestre uma plataforma com soluções para segurança, conforto e automação residencial baseada em internet das coisas. (IoT). “Os produtos têm uma série de atributos e vêm obtendo excelente receptividade, tanto de parceiros do varejo quanto do consumidor final, sendo o principal deles a fácil instalação. A lâmpada Wi-Fi, por exemplo, não precisa de acessório adicional. O brasileiro quer uma casa conectada, porém econômica”, diz José Ricardo Tobias.

Destaque para os kits Casa Segura, com conexão Wi-Fi, alarme configurável e programável, controle e alertas pelo aplicativo do celular e monitoramento online do status dos sensores; Casa Conectada, com lâmpada Wi-Fi, ligada ou desligada por comando de voz ou celular, plugue inteligente para tomadas e controle universal infravermelho, que permite conectar controles remotos e controlar eletrodomésticos conectados ao Smart Plug; e Casa Eficiente, que monitora o consumo de energia, liga e desliga eletrodomésticos conectados no plugue e controla a iluminação. “Todas as nossas soluções estão integradas à Alexa, serviço de voz baseado na nuvem da Amazon”, informa José Ricardo.

Vetti

Há 21 anos no mercado, a fabricante nacional disponibiliza para a casa conectada o Vetti Smart Home Kit, um sistema completo para proporcionar segurança. Tem funções básicas de automação, como luz, TV, ar-condicionado e alarme no mesmo sistema, conta Adrian Salvetti. “É um sistema de automação e alarme totalmente sem fios, bem simples de instalar e que pode ser controlado pelo controle remoto ou App.” Como suporte, a Vetti oferece equipe bem treinada e vídeos explicativos.

A empresa, que fabrica alarmes desde 2001, entrou no segmento de automação em 2015. “É um mercado em crescimento e que, nos próximos anos, deve apresentar produtos melhores e cada vez mais estáveis no quesito funcionamento”, explica o presidente. O público-alvo desses produtos que são de fácil instalação é a classe média. “A classe alta contrata uma empresa especializada”, acrescenta Adrian.

Papel do varejo

O varejo tem papel crucial no desenvolvimento da categoria. “A exposição desses produtos tem que ser diferenciada, o cliente entra na loja, faz a degustação e entende o conceito. É preciso ter um expositor interativo”, afirma o head da Positivo Casa Inteligente. “A venda depende de vários fatores, como treinamento da equipe, displays que promovam uma experiência de uso, conteúdos e preço condizente com a nossa realidade”, acredita o diretor da Alfacomex.

Dispositivos inteligentes são produtos bons de venda no varejo. “Devem ser ofertados no corredor de elétrica, com vendedores treinados para fazer a demonstração”, diz o presidente da Vetti. “O varejo é excelente para apresentar novidades aos clientes. Esses itens devem ficar em pequenos estandes que simulam uma casa conectada, isso educa o cliente. As empresas, por sua vez, já fazem um trabalho com o varejo em produtos novos, com treinamentos e ações conjuntas para explicar o funcionamento deles”, ressalta o diretor de novos negócios da Elsys.

fonte: Portal eletrolar

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Receba as últimas novidades do evento e do setor

Parceiro de Mídia
Eventos Paralelos
Organização e Promoção
Local
Filiado à

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por R+T - NOVO - pt, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.